#LUCIANOBANDEIRA

Quem é Luciano Bandeira

Luciano Bandeira

Carioca da Barra da Tijuca, nascido em um 25 de março de 1970, Luciano Bandeira graduou-se em Direito pela PUC-Rio em 1994. “Desde o primeiro dia na faculdade de Direito vi que a Advocacia seria o meu futuro”, relembra. Reconhecido pela sua experiência nas áreas cível e empresarial como sócio do escritório Fisher Bandeira Santana, Luciano é atualmente presidente da OABRJ. Tem 51 anos, é casado e pai de duas filhas.

Vida Acadêmica

Torna-se bacharel pela Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) em 1994. Em 2001 conclui sua especialização em Direito Empresarial (MBA) pelo IBMEC/RJ. Como advogado, Luciano tem forte atuação na área corporativa, particularmente na assessoria de clientes envolvidos em negociações que exigem grande especialização, como licitações públicas, auditorias e na aquisição e venda de participação societária.

Sobre a Ordem

Já no primeiro ano de sua gestão à frente da presidência da OABRJ, Luciano cumpre todos os compromissos de campanha. Muito trabalho e dedicação ao aperfeiçoamento e a valorização profissional da Advocacia fluminense possibilitaram tal conquista.

Mas o sentimento de casa arrumada logo é interrompido por uma pandemia global sem precedentes. Mostrando-se sempre atenta aos desafios, a diretoria da Seccional executa uma força-tarefa imediata em 11 de março de 2020, poucos dias após a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar a pandemia de Covid-19: a instalação de um gabinete de crise em regime de plantão permanente.

Como eixos principais de atuação da Ordem na atual gestão, destacam-se a manutenção das garantias profissionais junto aos tribunais e órgãos públicos, a prevenção do contágio, através de campanhas que promovem e incentivam o isolamento social e a viabilização da sobrevivência financeira da classe. “Nenhum colega, se depender da Ordem, deixará de trabalhar por falta de estrutura. Até o final do ano teremos ultrapassado 300 escritórios digitais prontos para atender a classe nessa nova demanda do mundo virtual. São estruturas completas com computadores para peticionamento, digitalização e funcionários treinados para o atendimento distribuídas por todo o estado. Atender de forma igual a todo advogado e advogada, tanto da capital como do interior, é uma prioridade da atual diretoria”, frisa Luciano.

Diversas ações a fim de minimizar os impactos da maior crise sanitária em um século sobre a Advocacia fluminense têm sido promovidas pela diretoria da OABRJ. “A pandemia nos trouxe um desafio muito grande. A digitalização e a virtualização do processo judicial criaram um novo tipo de violação de prerrogativas: a violação da prerrogativa virtual. Um exemplo disso é um advogado ao utilizar a palavra numa teleconferência ter o seu microfone desligado pelo magistrado, sendo assim impedido de falar”, denuncia Luciano.

A capacitação permanente da classe, a fim de oferecer condições para o pleno exercício da Advocacia, teve continuidade durante a pandemia por meio dos inúmeros eventos on line realizados quase que diariamente pelos canais virtuais da Ordem.

Com uma pandemia ainda em curso no nosso país, a OABRJ, capitaneada por Luciano Bandeira, continuará lado a lado com a classe, dando suporte para o pleno exercício profissional de todas e todos e defendendo de forma intransigente as prerrogativas da Advocacia.

Confira a coluna do Luciano no jornal O Dia